Thursday, May 18, 2006

O último apaga a luz

Essa entrevista do tal Cláudio Lembo não poderia ser mais reveladora. Um exemplo clássico dessa retórica socialista que vem destruindo países pelo mundo todo.

Quando eu lí Atlas Shrugged achei que aquela história de "greve dos produtivos" era meio maluca. Mas conforme o tempo foi passando a idéia foi fazendo mais e mais sentido.

Não seria lindo se a "burguesia", a "elite branca" brasilera simplesmente sumisse?

Bom, de certa forma isso já acontece e esse pessoal nem percebe. Eu nunca fui rico, principalmente quando morava no Brasil. Mas de acordo com a ideologia doente desse pessoal, era parte da burguesia, da "minoria branca muito perversa". E ai eu pergunto: Será que o país se beneficiou com a minha saída?

Não. E pior de tudo, agora esse mesmo pessoal que me mandou embora me critica dizendo que eu fui covarde e não fiquei até o fim para "ajudar" o país a sair do buraco (leia-se, trabalhar o resto da minha vida e dar uma parte cada vez maior do meu dinheiro para os outros).

E vale sempre lembrar que o sujeito é do PFL, o partido "liberal de direita" do Brasil.

Como eu já tinha dito várias vezes, uma situação extrema tem sempre seu lado bom. É uma "wake up call", uma prova concreta que o esquema atual não está funcionando. Mas qualquer possibilidade de melhora é diretamente dependente da capacidade de se entender qual é o esquema atual. E isso so é possivel com lógica e bom senso.

E é isso que falta ao Brasil.

28 comments:

Roger Moreira said...

Eu me diverti foi com as propostas do congresso:

http://ramblues.blogspot.com/2006/05/sobre-o-caos-em-so-paulo.html

Igor Taam said...

Pois é, Paulo, é uma lição que nunca esqueci: "Aprendemos com os nossos erros", mais ou menos. Aprende quem quiser aprender.

A história do Rio de Janeiro sozinho já seria "wake up call" suficiente para o mundo todo, não acha? E quem aprende com isso?

Jorge Nobre said...

Mas quem acha que o Lembo é de direita vai continuar achando. E eu não acho que valha a pena levar essa gente a sério.

smart shade of blue said...

Mas diz aí, quem foi que te "mandou embora do Brasil", meu rei ?

Não seria mais honesto dizer "fui procurar melhores condições de vida" ou "fui embora fazer a América" ou "fui embora tentar me dar bem nos States porque se o pessoal de Governador Valadares pode eu também posso" ?

Ou o Brasil te mandou embora apenas pelo ato de não ser o país que você gostaria que ele fosse ? Trágico, concordo, mas inescapável concluir que transformá-lo no que você queria que ele fosse seria, de fato, uma tarefa pessoal e instransferível sua, da qual você abriu mão.

Então não transfira esta responsabilidade para os outros com uma frase trágica como "me mandaram embora". Você foi porque quis, ué.

Paulo said...

Ah, vc ainda esta por ai!

Bom, a decisao de ir embora sem duvida foi minha. Mas nao mudei porque estava simplesmente insatisfeito com a minha vida pessoal. Pelo contrario, ja que tinha um emprego muito bom, alem de ter deixado amigos e familia para tras.

Mudei porque as circunstancias fora do meu alcance, i.e., governo e cultura local, tomaram uma direcao que eu discordo e que no fim das contas estava tornando minha vida muito pior do que deveria ser.

Eu poderia ter tentado mudar de profissao e tentar mudar o governo, aceitar a situacao atual ou mudar para outro lugar. Resolvi pela terceira, assim como muitos o fazem.

Sera que o governo nao tem culpa? Claro que tem. Assim como uma empresa que perde funcionarios tem. Eles perderam meus impostos (que nao eram poucos), minhas contribuicoes diretas e indiretas (voto, servico publico obrigatorio, etc), e por ai vai.

Porem, a esquerda tem um inimigo a menos. Por mais que eu faca minhas rants por aqui, influenciarei muito menos do que se ainda estivesse ai.

Vc escolhe quem saiu ganhando e quem saiu perdendo.

[]s

smart shade of blue said...

Olhe,

Não sei se você sabe, mas eu sou carioca. Eu ainda gosto muito do Rio, embora cada vez menos. E cada vez que eu vou lá, vou te dizer, por mais satisfeito que eu esteja onde moro hoje, sinto uma pontinha de tristeza por ter saído de lá. Mas não tenho raiva. Eu saí porque quis; saí porque achei que minha vida ia melhorar em outro lugar. Talvez eu pudesse ter cavado oportunidades melhores por lá mesmo, mas na época, não havia nenhuma que realmente me atraísse.

Eu acho mais simples e mais honesto colocar as coisas desta forma. Dizer, como você diz, que "o governo tem culpa", é um pouco demais, é a mesma culpa que o governo tem por você ser atropelado, sofrer uma conjuntivite, etc. Aliás, logo você, que preza tanto a capacidade do indivíduo ser independente do Estado...fica parecendo que você queria que o Estado fosse um paizão, da mesma forma que a esquerda que você tanto critica, não é ?

abçs !

Cláudio said...

Dear God!

Paulo said...

Smart,

Acho que nao. Como eu disse, nao sai porque nao tinha emprego, social security ou coisas do tipo. Tudo que eu queria do governo dai (qualquer governo for that matter) eh: seguranca e infraestrutura basica. Eu sai do Brasil porque, dentre outras, fui assaltado inumeras vezes, tive revolver apontado para minha cabeca, dinheiro roubado dos meus pais na cara dura, e a subida ao poder de um grupo de pessoas que eu nao confio de maneira alguma.

Tenho muita raiva desse pessoal nao por mim, mas pelas pessoas que eu gosto e que nao podem sair dai.

Vc pode dizer que a minha experiencia foi particularmente ruim. Pode ser. Eu tenho amigos que poderiam sair e nao saem. Amigos que ja passaram por coisas que eu nao passei, como sequestros, ser perseguido por motoboy atirando (not kidding), e por ai vai.

All I can tell you is that I had enough.

[]s

smart shade of blue said...

Espere, Paulo:

Você disse que a culpa "é do governo", mas agora parece que a culpa foi da eleição.

Nesse caso a culpa é da democracia ?

Bom, não deve ser já que você migrou para outra democracia. Então seu problema é com os resultados da democracia.

Não obstante, gostemos ou não, o tal "conjunto de pessoas" de quem você não gosta caminha para ganhar outra eleição. O que deve estar acontecendo porque a maioria das pessoas, que vão votar neles, está gostando do que está recebendo em troca.

Um país não tem "culpa", ele é o que é, fruto de um processo histórico que o deixou assim ou assado. Se esse processo gerou um país que você não julga salutar para sua existência, tudo bem. O que você não pode fazer é abdicar de sua responsabilidade pessoal sobre suas próprias atitudes. Milhares de brasileiros que teriam condições de sair do Brasil, como você, preferem ficar aqui. Ninguém é formalmente expulso do país pelo menos desde a ditadura militar.

Espero que você concorde que uma coisa é você ser realmente expulso de um país, outra, bem diferente, é sair dele, votando com os pés porque não obteve êxito nas urnas. Votar com os pés é legítimo e natural, inclusive previsto na ciência política desde pelo menos Albert Hirschman, mas não é algo que autorize você a fugir de sua responsabilidade pessoal pelos seus atos.

abçs

Paulo said...

Smart,

Vc esta tentando polemizar algo que nao eh polemico. Eu nunca disse que nao tinha saido por escolha propria. O que eu disse eh que o Pais, e ai vc pode incluir o que quiser dentro do mesmo, tem sua culpa por perder pessoas como eu.

Eu ja tinha dito em outros posts que tinha votado com os pes, e felizmente ainda temos essa opcao (que os cubanos nao tem).

For now.

[]s

smart shade of blue said...

"Não. E pior de tudo, agora esse mesmo pessoal que me mandou embora me critica dizendo que eu fui covarde e não fiquei até o fim para "ajudar" o país a sair do buraco (leia-se, trabalhar o resto da minha vida e dar uma parte cada vez maior do meu dinheiro para os outros)."

O que eu peço é: reconheça que ninguém te mandou embora. Eu não disse que você não saiu porque quis, isso é parte integral do meu argumento.

Se as pessoas votarem em alguém de quem você não gosta significa te mandarem embora, porém, isso só quer dizer uma coisa: que você está muito centrado no seu umbigo.

abçs

Cláudio said...

O negócio é pessoal. :-)

smart shade of blue said...

Pelo contrário, Claudio. É totalmente impessoal.

Paulo said...

Smart

Eu ja expliquei o que tinha que explicar. Quando um CEO aumenta o proprio salario e corta as ferias do funcionario ele eh responsavel pelos funcionarios que saem fora. Se vc nao consegue entender como um governo corrupto e incompetente contribuiu para a minha saida there is nothing else I can do. Deveria ser obvio.

E eh logico que eu olho (e me preocupo) com o meu umbigo. Mais precisamente, com o umbigo das pessoas proximas.

Com qual umbigo eu deveria me preocupar? O do Mula?

smart shade of blue said...

Bobagem.

O governo norte-americano também é corrupto e incompetente e você está aí. Você sabe que o problema não é esse.

Paulo said...

Hey! Vc quer que eu te passe uma planilha com tudo que um roubou de mim e tudo que o outro roubou?

Imagina se eu for considerar que aqui meus filhos usam escola publica e no Brasil minha familia teve (ok, escolheu!) pagar escola privada na marra.

Please... Apples e melancias.

Cláudio said...

Paulo, não perca seu tempo. Ele está aqui te zoando. No blog do Shikida ele disse que a liberdade é um fator que influencia na emigração. Logo é claro que o responsável pela emigração é aquele que efetua a supressão da liberdade, no caso o governo. É impossível uma discussão honesta com premissas escamoteadas.

smart shade of blue said...

Paulo,

Ué, e daí ? Você saiu de um país pobre e foi para um país rico. Pior, saiu de um país que nem é tão pobre assim, mas cujas estruturas de voltam para perpetuar a pobreza, e foi para o centro do Império. Era de se esperar tal diferença - aliás, foi provavelmente o que te motivou a emigrar. De novo, não vejo a "culpa", vejo seu senso de oportunidade atuando.

Claudio,

Creio que você é quem está escamoteando uma premissa aqui: a de que VOCÊ acha que o Brasil é um país onde se retira a liberdade.

Mas comparar brasileiros, ainda mais como o Paulo, que migram para os EUA com cubanos que fogem de Castro ou irlandeses que fogem da refulgente coroa britânica...apples and melancias, você sabe.

Cláudio said...

Whatever you want.

Paulo said...

A nao, discussao sobre imperio a esse hora da manha de uma sexta feira nao da.

Achtung Smarto!

Cláudio said...

Que isso Paulo! Aqui em Caracas já são 12:00. Discutir império é um bom aperitivo...

Paulo said...

Mas nao se esqueca que em Caracas quando se fala de imperio podem estar falando do Imperio da Primeira Estacao Brasileira!

Quando eh que comeca o proximo carnaval fora de epoca hein? Ta ficando muito serio esse pais!

smart shade of blue said...

Será que vou ter que te mostrar o raio do mapa dos Comandos Militares das forças armadas americanas de novo ???

Paulo said...

uhhhh, now you're talking!

Se vc fizer isso eu vou pegar a lista de participantes do Foro Mundial. Cuidado!

smart shade of blue said...

Sim, claro. ONG´s e banana countries são realmente impressionantes contra os 13 CV´s da Marinha de Sua Majestade texana.

Wake up, moço.

Paulo said...

Opa, estou acordadao. Alias, nem durmo mais por aqui. Senao o FBI te leva a noite, nao sabia nao?

smart shade of blue said...

Hahaha, boa tentativa. Mas ele não precisa "te levar", ele já "te escuta" ! :)

Cláudio said...

You two, go get a room! ;-)