Friday, October 21, 2005

Coincidências e generalizações

A maioria dos blogueiros de esquerda trabalham para algum órgão do governo (até de outros paises). Dos que sobram, muitos trabalham em universidades e outros são novos demais e ainda estudam full time.

***

O Churchill já dizia que todos nascem socialistas e depois amadurecem e viram liberais (conservadores ou seja lá qual nome se queira usar).

Pela história não faltam exemplos que confirmam essa tese: Hayek, Vernon Smith, Reagan, Dennis Miller, etc.

Eu não consigo lembrar de ninguém que fosse conservador e tenha virado socialista. Apesar de que o Bush pode estar se tornando um bom candidato.

***

De acordo com uma pesquisa recente, as mulheres já são maioria nas universidades americanas (57% vs 43%).

Será que teremos uma affirmative action para os pobres homens? Ou temos que esperar a queima das cuecas pelas ruas de Los Angeles primeiro?

Ah, a fantasia igualitária. What a mess.

24 comments:

Fernando said...

Tem razao, Paulo. Agora que sai' do oba-oba academico, estou comecando a sentir um certo nojo da coisa estatal e seus doces vagabundos. :)

Conheci uma garota na universidade que alem de estar entre os melhores alunos de sua turma de Engenharia, fazia parte do ROTC. Alias, era uma entre 4 que conheci em situacao semelhante. Ela esta' no Iraq hoje, second tour. Talvez esteja na hora de mandar os religiosos a merda com suas balelas sobre a santidade da dona de casa.

Abracos

Paulo said...

Fernando,

Eu sei que eh generalizado (eh so ver o titulo do post) mas veja como essa da profissao dos blogueiros bate...

E sobre as mulheres, eu nao duvido que no fim das contas elas sejam mais aptas que homens para muitas profissoes (assim como homens podem ser superiores em outras atividades). E mais, nao duvido que no geral, elas sejam academicamente superiores. O rolo vai ser que, na marra, tentam nos convencer que os homens nao sao superiores ha decadas e fizeram de tudo para que isso se estabelecesse na pratica.

Vai ser um rolo.

[ ]s

Fernando said...

Eu gostaria de imaginar que minha lista e' variada, mas a verdade e' que nao sei a profissao de todo mundo. Tem muito escritor, e essa e' uma raca que nao presta realmente. :)

O diacho e' que elas passaram um bom tempo ouvindo que eram inferiores em tudo. Talvez seja ai' que falhe um pouco essa pratica revisionista.

[]s

Rodrigo said...

É verdade, Paulo, algumas profissões são naturalmente coisa de homem: cabelereiro, maquiador, estilista, decorador de interiores, coreógrafo...

Eiweiss said...

O que é socialismo? No meu ponto de vista não é apenas abolir a iniciativa privada (coisa rara, hoje em dia), mas aumentar o peso do Estado na vida pública de forma a tornar muito difícil que as iniciativas individuais sejam tomadas sem problemas.

Dito isso, quase todos os integrantes da cúpula da CNBB entraram na igreja com visões conservadoras, mas hoje pregam um ideário socialista.

Aliás é difícil até imaginar conservadores que não tenham um ideário socialista. Quanto mais se aproxima da extrema direita, como os Reverendos Falwell e Robertson nos EUA, maior é a pressão para que o aumento do gasto público. Principalmente quando esse gasto é direcionado aos objetivos religiosos. Isso mostra que os EUA tem mais tendências socialista que se costuma imaginar.

Abraços,

Jorge Nobre said...

Eiweiss, me desculpe, mas o que você sabe da biografia dos homens da CNBB?

Pode até ser que você esteja certo, mas assim: "quase todos os integrantes da cúpula da CNBB entraram na igreja com visões conservadoras, mas hoje pregam um ideário socialista" me parece que você está chutando.

Paulo said...

Eiweiss,
Estava falando somente do aspecto economico. E nesse caso, socialista eh o oposto de liberal (conservadores americanos tendem a ser liberais economicos).

E eu sei da tendencia estatal da extrema direita. Tanto que critiquei o Bush, ja que em muitos casos ele se mostra mais socialista do que liberal (gastos enormes).

[ ]s

Fernando said...

No tocante à administração Bush, talvez não seja um caso de ideologia, mas de incompetência mesmo.

Eiweiss said...

Jorge Nobre,
O grande livro "Lanterna na Popa", do Roberto Campos, descreve os pontos de vista de padres e bispos em seminários e colégios de padres.

O ótimo livro "Peixe na Água", de Mario Vargas Llosa, também mostra a visão do autor sobre o ambiente dos colégios de padre, onde ele estudou na infância. Esses são apenas dois dos inúmeros exemplos de livros que tocam o tema da visão de mundo dos padres no início de sua formação.

Além dessas fontes, a minha visão pessoal decorre do fato de ter pai, mãe e tios que estudaram em colégios de padres e de freiras. Os relatos deles me mostraram uma visão de mundo profundamente conservadora. O conservadorismo não era apenas dos padres que lá trabalhavam, mas também dos próprios alunos, que viriam a se tornar padres mais tarde, como um tio-avô meu.

Você pode argumentar que essa é uma visão muito pessoal, impregnada de juízo de valor. Entretanto, essa tentativa de inferir os valores do clero é a única possível, pois a CNBB não costuma fazer (nem divulgar, caso as faça) pesquisas sobre os pontos de vista políticos-ideológicos dos alunos de colégios de padres e seminários, nem dos padres em início de carreira.

Se você tiver exemplos que mostrem o oposto: que a maioria dos padres tem uma visão socialista, ou libertária, ou anarquista, ou qualquer outra que não conservadora, no início de sua formaçao, apresente-as.

Paulo,
Eu tenho a impressão que não é possível separar o ambiente econômico do ambiente político-ideológico. Portanto, ser liberal em economia e repressor com relação às escolhas individuais, sejam elas políticas ou sociais, gera desequilíbrios insustentáveis no longo prazo.

O inverso também me parece verdadeiro: uma sociedade profundamente liberal do ponto de vista político-idelógico fatalmente se tornará economicamente liberal.

Como costumava dizer o eminente economsta Paul Samuelson em seus livros de economia: os consumidores utilizam seus "Dolar votes" para fazer suas escolhas de consumo, da mesma forma que os eleitores utilizam seu votos para fazer escolhas de políticas públicas.

Será que a separação entre as liberdades poítica e social e a liberdade econômica é plausível? A China é o melhor exemplo da tentativa de fazer esse "Balancing act": restrições extremas das liberdades políticas (ditadura) e sociais (política do filho único, proibição do direito de ir e vir livremente em território nacional), junto à liberdade econômica. Na minha humilde e insignificante opinião isso vai dar errado.

Abraços.

Paulo said...

Fernando,
Incompetencia eh meio sistemica. O problema eh populismo na minha opiniao.

Eiweiss,
Na teoria eu concordo. Na pratica, vejo que liberdade economica leva a liberdade social (de forma lenta), mas o oposto raramente ocorre. Alem disso, acho que existe uma tendencia de usar o lado social para justificar o economico. A esquerda justifica impostos altos para viabilizar medidas que levam (teoricamente) a liberdade social, e a direita justifica o status quo social com a inviabilidade dos altos impostos e enormes programas sociais.

Acho que o maior problema de querer colocar as duas areas num balaio so eh a diferenca de funcionamento. Vc nao pode esperar que uma regra social seja mudada instantaneamente como uma regra economica pode.

[ ]s

Cláudio said...

Paulo, exatamente o que você define como liberdade social?

Paulo said...

Claudio,
Eu definiria liberdade social como a falta de intervencao estatal nos assuntos privados. Qualquer tipo de censura ideologica ou religiosa, criminalizacao de substancias ou atividades privadas, e por ai vai.

Claro que eu nao sou a favor da total liberalizacao de tudo. Acho que uma certa quantidade de censura eh totalmente necessaria (nao quero ligar na NBC e ver porno ao meio dia). Nao acho certo nem mesmo o tal loony poder falar o que falou la na Howard (post acima).

Mas respondendo ao argumento do Eiweiss, a liberdade economica tende a aumentar a liberdade social. As vezes de maneira equivocada ate.

[ ]s

Claudio said...

Hmm, eu queria uma definição justamente para poder saber do que eu estaria discordando. Eu não vejo como pode haver liberdade econômica SEM HAVER o que você define como liberdade social. Se o Estado intervém na vida das pessoas, qualquer atividade que elas exerçam será uma concessão do Estado, inclusive a atividade econômica. Resumindo, eu só consigo enxergar a possibilidade de uma verdadeira liberdade econômica onde exista um alto grau de liberdade social (como você definiu). Se o governo "deixa" você praticar uma determinada atividade econômica isso já não é liberdade pois essa permissão pode ser retirada a qualquer momento. Eu vejo a liberdade social como condição para existência de uma plena liberdade econômica.

Fernando said...

Paulo, discordo. A incompetencia deste governo e' extremamente epistemica, desde a guerra no Iraq ate' o defunto plano de saude, passando pela resposta a Katrina. A mascara caiu e nao e' mais uma questao de red vs blue state.

[]s

Fernando said...

ops, plano de saude nao, social security.

Leila said...

Ai, as generalizações... Paulo, imagino que você tenha me incluído entre essa lista de blogueiros que trabalham para universidades e órgãos públicos. Mas o seu argumento é tão falho que não leva em consideração quanto tempo essas pessoas trabalharam para a iniciativa privada (em proporção ao tempo que trabalham em organismos públicos), ou que num futuro próximo elas poderão estar numa empresa privada. Mais uma vez, bola fora sua, no afã de arrumar algum motivo para criticar os blogs de centro e esquerda.

Paulo said...

Fernando,
Pode ser. Mas pelo que lembro, o Clinton nao foi muito melhor nao. E nao pode-se esquecer que as circunstancias atuais sao bem mais complicadas.

Leila,
Por acaso eu disse que ser de esquerda ou trabalhar para o governo era ruim? Se a mascara serviu, a culpa nao eh minha. O que eu falei foi de uma correlacao, que existe.

[ ]s

Leila said...

Paulo, você pode ser um gênio das finanças, mas não sabe trabalhar muito bem com amostragens estatísticas. Já provou isso diversas vezes aqui neste blog. A tal "correlação" só existe na sua cabeça. Da próxima vez, então, apresente um estudo com pelo menos algumas centenas (ou sequer dezenas) de blogueiros de esquerda e seus empregadores nos últimos 10 anos, para demonstrar se essa sua tese tem base em algo mais que um mero chute.

dois tostões said...

Que eu saiba, generalizações - até é o título do post - podem ser feitas com números pequenos.

Leila said...

É, Dois, mas o Paulo é o blogueiro que mais cobra "provas, dados, números" - daí a inconsistência. Só topa a generalização quando lhe convém.

Fernando said...

Paulo, uma situação complicada exige soluções de qualquer governo. Bush parece não ter mais nenhuma.

Abraço

Paulo said...

Leila,
Sim, uso generalizacoes quando me convem. Deveria usa-las quando lhe convem? E como lembrou os 2 tostoes, eu deixei claro que estava generalizando. (Btw, fui muito bem em estatistica na Universidade :-)

Fernando,
Nao vou defender a eficiencia do Bush. Acho que ideologicamente ele seguiu muitos caminhos que concordo, mas na execucao tem sido realmente fraco.
[ ]s

Fernando said...

Paulo, ok. Pelo menos começamos a concordar em algo.

[]s

dois tostões said...

Leila, se você fizer um exame de consciência, verá que você também faz generalizações quando elas lhe convêm. Teu blog tá CHEEEEEIO de generalizações.

Se não fizesse, você não seria humana.