Tuesday, March 28, 2006

Para relaxar um pouco

O que quer a esquerda

"RIO DE JANEIRO - Os seguidores da candidatura mais à esquerda da próxima eleição presidencial começaram a debater que propostas levar para a campanha. Apesar de atingir quase 10% das intenções de voto, a senadora Heloisa Helena (PSOL) ainda tem dúvidas se disputa a Presidência ou se prefere tentar o governo de Alagoas.
Durante seminário que reuniu membros do PSOL, do PSTU e intelectuais que antes se abrigavam no PT, a esquerda discutiu o que pretende levar para o poder.
"Qualificar como crime hediondo os assassinatos de pais e mães de santo que vêm ocorrendo pelo país" é um dos itens que a esquerda defende, segundo texto que resume os debates.
Outro trecho do documento propõe o estudo obrigatório da história da África e da cultura do "povo afro-descendente" no ensino fundamental e a "introdução nas creches de figuras negras, brincadeiras de roda e atividades que contemplem a diversidade racial e cultural do país, visando quebrar o racismo no início da formação dos indivíduos".
Isso num contexto educacional sem escolas privadas. "Fim do ensino pago, educação não é mercadoria", esclarece o pré-programa.
Nos temas econômicos, o texto defende a suspensão do pagamento da dívida externa enquanto submetida a uma auditoria, redução drástica da taxas de juros, salário mínimo de R$ 1.600, desoneração tributária do consumo e tributação progressiva do patrimônio e renda.
Há ainda a defesa da "revogabilidade dos mandatos executivos e legislativos", da realização de mais plebiscitos e referendos, da colocação da Venezuela como um exemplo político e do fim do "subimperialismo" do Brasil na América Latina.
"O programa deverá apontar para o novo, um programa de ruptura radical com o velho e que seja capaz de encantar novamente as pessoas", afirma o texto dos apoiadores de Heloísa Helena.
Ou seja, lá vem o velho travestido de novo, de novo."

11 comments:

Cláudio said...

Rir porque você está aí né? :-)

Bruno Chiarelli said...

Como dizia o monstro da camiseta, hay que tener saco, pero...

Cisco said...

Se essa mulher ganhar, acho que vou ter que pegar em armas.

Anonymous said...

Ah,sei lá,mas deve ser legal ser puro assim,intocado pela realidade,incapaz de entender o desastre implícito nessas propostas.Além disso,se essas propostas ganharem a eleição,é porque já está tudo perdido mesmo.
Alfredo

Igor Taam said...

Essa coisa de "subimperialismo" eles aprenderam com Milton Santos. Nós, o Brasil, somos a semiperiferia, que é explorada, mas que também cria relações de dependência com a periferia. E por isso o mundo não dá certo, nós travamos a reunião de todos os explorados contra o grande capital dos países do centro, evitando a radicalização dos explorados.

Ai, ai...

Paulo said...

Ninguem comentou a minha parte preferida:
"Qualificar como crime hediondo os assassinatos de pais e mães de santo que vêm ocorrendo pelo país"

Eu achei que o cara tava de sacanagem!

Bruno Chiarelli said...

Parece que ele tá de sacanagem do início ao fim. Você grifou umas partes, eu teria grifado tudo. :)

Agora, por que a sucursal do Rio de Janeiro fez a matéria pra Folha? A sede do PLUA é aqui? Só faltava essa!

Fernando said...

Tens razão. Matar pai de santo deveria ser declarado um hobbie.

[]s

PS = É por isso que sempre passo aqui pra relaxar.

Anonymous said...

Fernando, obrigado por ilustrar tão bem o post.

Patrick

Paulo said...

Acho que matar pai de santo eh tao hediondo quanto matar professores de educacao fisica.

Vou adicionar isso no meu plano de governo.

Ricky said...

Pais-de-santo, professores de educação física, que nada. O pior é matar engenheiros de redes; logo nós que ligamos o mundo e tornamos possível os blogs...

Crime hedionto sem dúvida nenhuma.