Saturday, November 19, 2005

Jogos de guerra

De vez em quando a política americana fica interessante. Recap dessa semana:

- A discussão sobre uma eventual retirada das tropas do Iraque esquentou depois da declaraçao do Democrata John Murtha, de que as tropas 'viraram o inimigo' e que deveriam ser retiradas em 6 meses.

- Depois que a Sheehan saiu de cena (e vai faturar seus dólares com um livro - não te disse Fernando?), os Democratas precisavam de um novo herói anti-guerra. E nada melhor do que um veterano do Vietnã, que votou sim na resolução da guerra do Iraque (assim como fez a maioria Democrata), mas que agora 'entende seu erro'.

- Numa jogada rápida, os Republicanos forçaram os Democratas a votar uma proposta que faria exatamente o que estava pedindo o Murtha: Retirada das tropas num periodo de 6 meses.

- Os lideres Democratas, Nancy Pelosi, Chuck Schumer e Ted Kennedy (o triunvirato da incompetência) ficaram totalmente revoltados. Como assim 'vamos votar então'? Afinal, falar é uma coisa. Fazer é outra! Na hora do voto, arregaram totalmente (resultado final foi 403 a 3).

Resumindo, foi um legítimo checkmate político: Os Democratas ficaram acuados entre se responsabilizar sobre a retirada das tropas (algo que não verdade eles não querem) ou deixar de apoiar o novo testa de ferro do momento.

Os Republicanos conseguiram, pelo menos por enquanto, mostrar o quão politizado esse assunto do Iraque está. Lógico que a situação no Iraque é complicada, mas apesar dos pesares, o processo político continua avançando. Uma retirada agora seria não somente uma declaração de fracasso no Iraque, mas um convite para mais terrorismo em outras partes da região (como o Afeganistão).

Os Democratas estão de olho nas eleições do ano que vem, e o sentimento anti-guerra é o maior aliado, o chamado 'unificador' deles.

A guerra política deve se tornar cada vez mais brutal.

14 comments:

Solon said...

Paulo, c'mon don't be silly. Pra começo de conversa, a proposta do Murtha é de retirada "assim que for possível". ele PREVÊ que este tempo seria seis meses.

btw, idéia que ele já aventou há mais de ano (muito antes de alguém falar em Cindy Sheehan), mas que agora disse achar que é hora de botar em prática.

ademais, a proposta do GOP foi de retirada IMEDIATA das tropas. nenhuma discussão sobre o que quer que fosse, apenas uma votação instantânea sobre a retirada imediata do Iraque.

ou seja, nada mais que um "publicity stunt" que eu esperaria que um cara que costuma demonstrar inteligência e moderação como tu não teria engolido, assim, tão facilmente.

não que isso seja uma defesa de Murtha, dos democratas ou quem quer que seja. mas esse teu post me fez pensar em um Daily Kos conservador, e isso nunca é bom.

Paulo said...

Solon,
Bom, acho que vc esta sendo um pouco ingenuo. O murtha ja era critico sem duvida, e o fato de 'setp up' agora nao eh coincidencia, e muito menos dependente de algum acontecimento no Iraque. Alias, essa eh a maior critica dos Republicanos e minha tambem: nao poderia haver hora pior para falar em sair de la. Antes da eleicao, quando ja era esperado o aumento da violencia principalmente contra os iraquianos.

Eu achei a jogada republicana muito boa no quesito propaganda. Algo que geralmente os democratas sao melhores. Logico que nao era para ser uma medida plausivel, o ponto foi mostrar que os democratas falam, falam, mas nunca colocam a proposta deles em votacao! Logico que ele disse "talvez em 6 meses". Eles nunca dao proposta concreta, o objetivo eh somente colocar fogo na fogueira do Bush.

E acho que esse eh o ponto que vc nao entendeu.

[ ]s

Cláudio said...

O "assim que for possível" seria uma verdadeira armadilha (comentei isso ontem). A jogada foi boa para mostrar que falar é uma coisa, votar é outra.

Solon said...

uma coisa é criticar a posição do Murtha. que digam que agora é a pior hora possível para se falar em retirada do Iraque ou o que quer que seja. mas, repito, a votação forçada pelo GOP nada tem a ver com isso.

o teu post fala que a votação foi boa para mostrar como os democratas são bons para falar, mas na hora de botar votos onde estão suas bocas, são covardes. e não foi absolutamente nada disso que aconteceu.

não houve um "legítimo checkmate político". até caras como o Glenn Reynolds reconheceram que o que houve foi apenas um "publicity stunt" que, na real, só serviu como uma demonstração de força para os democratas.

Leila said...

Aqui, um link bastante educativo mostrando a diferença da resolução do Murtha com a que os Republicanos botaram em votação:

http://www.dailykos.com/storyonly/2005/11/18/163220/03

Paulo said...

Solon,
Continuo achando que eh ingenuidade sua achar que nao foi um "checkmate politico" so porque a proposta nao foi identica a que foi apresentada pelo Murtha (ate porque "aproximadamente" eh por definicao inexato!)

Eu ja acho que criticar o Murtha eh bobagem. Cada um fala o que quer, e obviamente ele esta jogando o jogo do partido dele, assim como os republicanos estao jogando o jogo do Bush (dai o titulo do post).

Pela reacao da imprensa e dos democratas, continuo acho que foi um ponto a favor dos republicanos.

[]s

Solon said...

então tá. se é pra ser ingênuo junto com Glenn Reynolds, Andrew Sullivan, Hit&Run e tantos outros, eu fico feliz.

Paulo said...

Bom, o que eu lembro do Andrew S. eh que ele nao eh a favor da 'proposta' do Murtha. Nao lembro (o site dele nao tem search) sobre ele dizendo que o voto foi injusto, ou algo do tipo.

E mais, eu mudaria meu julgamento se os Dems mostrassem some balls e colocassem para votacao a proposta deles da maneira que eles acham justa. Porque nao fazem? Porque a tal 'critica' nunca foi feita para ser implementada. E eh exatamente esse o ponto que os Rep. queriam mostrar.

[ ]s

Fernando said...

Paulo,

Vou comprar esse livro assim que puder. Colocarei na estante junto com o livro infantil do Bill O'Reilly. :)

É melhor esse tal de Murtha abrir o olho, antes que apareça algum Marine Veterans for Truth para amolar...

[]s

Paulo said...

Fernando,
Por isso que disse que ataques ao Murtha nao deveriam acontecer. Alias, esse foi o maior erro dos Rep. nessa historia ("Ele nao eh patriota", etc).

E sobre a Shehann, o O'Reilly pelo menos nao posa de heroi defendendo a honra dos outros. Ele esta la pela grana, you know it up front. A outra disfarcou direitinho enquanto tinha as TVs na frente, e agora que acabou, vai fazer seu quick buck. Lamentavel.

[ ]s

Fernando said...

Paulo,

Fico feliz que concordemos nisso, essa tática de taxar os outros de unpatriotic deveria ser sepultada de vez.

É verdade também que o O'Reilly não teve um filho morto no Iraq. Talvez nesse caso ele teria mais motivos pra atacar os outros na tv do que só fazer grana. :)

[]s

Solon said...

Paulo,

o Sullivan não disse que o voto foi injusto, nem eu disse que o voto foi injusto. não sei por que chegaste a essa conclusão.

o que digo eu, até onde entendo, dizem o Sullivan, Glenn Reynolds, Hit&Run, OxBlog e tanta gente mais, é que o voto não significou nada mais que uma demonstração de força dos republicanos no Congresso.

politicamente, foi um evento nulo. a única coisa que o voto provou foi que os democratas também não são a favor de uma retirada imediata, e que os republicanos são maioria absoluta on the floor.

Leila said...

Cindy Sheehan voltou a acampar no rancho de Bush. Tá todo dia na TV agora.

Talvez você não saiba, mas ela tem participado de eventos e protestos no país inteiro. Aqui em Sacramento, inclusive, há coisa de 1 mês.

Acreditar que a mãe que perdeu o único filho na guerra está protestando apenas para fazer um "quick buck" é o fim da picada. Você pode discordar do modus operandi, das idéias dela, mas daí a classificar a ação dela como oportunismo é típico de quem só tem ouvidos para o spin republicano.

Cláudio said...

Tá na hora de divulgar o livro :-)