Tuesday, November 29, 2005

This I believe

The God Who Embraced Me

There Is No God

11 comments:

Cláudio said...

O primeiro texto é bonito pela emoção que passa. O segundo, sinceramente, é muito infantil. Não pela não crença em Deus, mas pelas argumentações. Exemplo:

"I can read ideas from all different people from all different cultures."

Ora, está fazendo uma concessão. Dizer que lê as idéias de alguém em absoluto significa respeitá-las. Se você lê ou ouve algo sem estar disposto a ser convencido da validade dessas idéias ou pelo menos respeitá-las, você é tão cabeça dura quanto qualquer fanático. E é aqui que eu me coloco: a fé de um religioso não é pior que qualquer outra.

Fernando said...

Prefiro o de J. Frank Dobie, "Whatever Makes Me Feel Big".

Abraços

Bruno Chiarelli said...

O engraçado é que os dois são menos antagônicos do que parecem.

Deus guia cada momento do que não tem pai, e não-Deus guia cada momento da vida do elefante que talvez carregue outro no carro.

Aristóteles: Julgando que fora do ser o não-ser é nada, forçosamente admite-se que só uma coisa É, a saber, o ser, e nenhuma outra.

Leonardo said...

A prova de que Deus existe, em apenas um link:

http://odia.terra.com.br/cultura/galeria_foto/marissol/foto3.jpg

Cláudio said...

Pois é, Leo. Dá para dizer que isso é obra do acaso? :-)

Igor Taam said...

Leo e Claudio, eu bem já disse antes que todo ateu é meio err.. "esquisito".

Fernando said...

Bem, tem padres católicos que também são, digamos, meio "esquisitos" mas, enfim, deixa pra lá.

igor said...

Muito bom o primeiro.
Abraços,

Raimundo Arão said...

Pois é, FerNADA, será que você se refere ao catolicismo mesmo? Bem, deixa pra lá também. Você teria que entender a diferença entre uns poucos fatores... talvez seja demais para sua cabeça.

Vou te ajudar a raciocinar: se você entrar no Greenpeace e matar baleias por conta própria, a culpa é do Greenpeace? A instituição é contra, mas um membro faz assim mesmo, a culpa é da idéia que se prega?

fraquinho.. de novo, fraquinho

Victor Hugo said...

O segundo é infantil? É, infantil sim. Tão infantil quanto você quiser que seja. Eu diria que infantil é crer que um ser individual e consciente realmente ajudou o tal John Fountain, quando poderia simplesmente acreditar que a força para a superação de seus problemas estava dentro dele mesmo. Ele teve muito sofrimento na infância é verdade, mas e quanto a todas as outras pessoas que sofreram tanto quanto ele ou ainda mais quando jovens e que nem por isso se tornaram correspondentes do The New York Times? Deus gosta menos delas será? Ou será que essa força está unicamente dentro de cada um? E quanto ao próprio pai dele que não recebeu a ajuda de Deus para superar seus problemas e foi sucumbir ao alcoolismo ao invés disso?
Agora, quanto às idéias de outras culturas, você acha mesmo infantil duvidar do que tais idéias dizem? Não seria na verdade infantil acreditar que a seleção natural é tão possível quanto a existência de um paizinho benevolente e TODO-PODEROSO que vai cuidar de mim não importa o que aconteça ou acreditar que existem realmente elfos alegres que vivem a passear e a dançar pela floresta?
Eu até me disponho a ser convencido por tais idéias mas, por mais que me esforce, simplesmente não consigo.
Essas idéias têm valor literário, no máximo.

Victor Hugo said...

E pra quê defender a porcaria do catolicismo? Deixa eu entrar no seu joguinho então, tá bem? Sabia que o Natal(25 de Dezembro) é em sua origem uma festa pagã, na qual se comemorava desde os tempos do imperio romano o dia do Sol e também o nascimento do deus Mitras(a partir desse dia no hemisfério norte os dias passam a ser cada vez maiores o que indicava uma espécie de vitória da luz sobre as trevas)? Era uma festa muito popular e que acabou por ser institucionalizada pela igreja romana, que não conseguia acabar com a festa mas queria acabar com o paganismo. Assim inventaram que o nascimento de Jesus tinha sido em 25 de dezembro, e sua santa igreja ainda HOJE confirma essa história falsa e de intolerância, celebrando-a até com uma missa(Missa do Galo). Já tá bom ou precisa que eu fale mais dessa sua "igreja"? Camisinha, Céu e Inferno, Batismo, Idolatria, a "santos", tenho um balde cheio dessa porcaria contra vocês, católicos.