Sunday, January 29, 2006

Males que vêm para o bem

Go Canada

Com a subida do preço do petróleo, finalmente as dunas de Alberta, no Canadá, vão começar a ser realmente exploradas.

Estima-se que entre 1.7 e 2.5 trilhões de barris estejam enterrados na mistura de areia, água e argila. Esta é a maior reserva do mundo, superando de longe a Arábia Saudita (atual maior produtora) que tem reservas comprovadas de 261.9 bilhões de barris.

A segunda morte de Arafat


Quando Yasser Arafat resolveu trocar suas bombas pelos milhões de dólares do Ocidente, vendendo a ilusão da paz com Israel, ele condenou a região a um estado de "meia-guerra" eterna.

Agora com a subida do Hamas ao poder, finalmente teremos a chance de paz. Ou guerra. Não será mais possivel esconder o radicalismo palestino por trás da desculpa de que "estamos falando de uma minoria". A maioria dos palestinos quer o Hamas. O que eles decidirem fazer vai representar a vontade da maioria.

Finalmente o legado de Yasser Arafat morreu.

20 comments:

Cláudio said...

O comentário do Scott Adams sobre a vitória do Hamas está ótimo!

Jorge Nobre said...

Com isso, o hidrogênio deixará de ser assunto dos colunistas conservadores...

Paulo said...

Claudio,
Eu tambem gostei hehe. Alias, eh engracado ver como os liberals ficaram 'preocupados' (na verdade chateados) com a vitoria do Hamas, enquanto os conservadores estao mais naquelas de "melhor assim".

Jorge,
Acho que o petroleo sera 'outdated' muito antes dos estoques mundiais acabarem. Nao eh tanto pelo lado politico, mas sim pelo economico. O petroleo do Canada esta la, mas eh dificil de extrair. Ao mesmo tempo, a tecnilogia de fuel cells e outras vai ficar cada vez mais barata.

[]s

Paulo said...

Ops, apertei enter cedo demais.

Entao, o maior beneficio do petroleo no Canada eh que vai tirar a mamata do Oriente Medio mais rapido. Com o fim do dinheiro facil, os governos de la vao comecar a tentar produzir algo, e quem sabe ate sair da idade media.

[]s

Grande Líder da Silva said...

Esse óleo do Canadá é tão difícil assim de extrair?

Em todo o caso, chegará o dia em que teremos de substituir de vez a nossa matriz energética e a mudança não será barata.

Paulo said...

Nao lembro aonde eu li (talvez num dos links que eu postei) mas a diferenca de custos de extracao eh alta. O petroleo do Oriente medio custa 5 dolares (por barril?) e o do Canada seria 20 dolares.

Mas a substituicao vai ocorrer, eh so questao de tempo. Os carros hibridos aqui nos EUA sao o primeiro passo, e a Honda ja tem um fuel cell car pronto. Logico que existe a conversao do lado da producao das fuel cells, mas essa sera bem mais facil.

[]s

Cláudio said...

Por falar em liberals, eles que sempre falam que se algo salva uma vida não importa o custo pois já terá valido a pena, a MS e a Google devem ter perdido um monte funcionários liberals com o apoio que essas empresas deram à China, não? Ou será que quando o custo é deles (liberals) o discurso muda?

:-)))))))

Marcelo said...

Paulo,

Pelo contrário, o legado do Arafat continua bem vivo.

Foi ele que soube capitalizar como ninguém o terrorismo para a causa palestina. Foi ele que fez uso aberto dessa tática em prol da sua causa.

Agora, estou adorando a eleição do Hamas. Já começaram a implorar para as torneirinhas não serem fechadas. Vamos ver quanto tempo eles aguentam agora que eles representam um estado nacional.
A eleição do Hamas demonstra justamente isso, a opção do povo palestino pelo terrorismo.

Paulo said...

Claudio,
Ah se eu pudesse falar tudo que eu sei :-)))

Marcelo,
Isso he verdade, o legado que morreu foi o do falso pacifista/processo de paz atraves de grana do ocidente. A tatica do terrorismo, que foi realmente cria do Mr.Arafat, continua viva e agora tera que enfrentar de frente o ocidente. Resta saber se o ocidente esta pronto para encarar esse pessoal de frente.

[]s

Jorge Nobre said...

Certamente as alternativas ao petróleo serão mais baratas e eficientes ao longo do tempo, graças a tecnologia. Mas a prospecção, a extração e o refino do petróleo também serão mais baratas e eficientes, graças a tecnologia. No fim das contas, eu acho que o petróleo ainda será por muito tempo a melhor fonte de energia.

Jorge Nobre said...

E não são apenas as dunas de Alberta, no Canadá, que estão para serem exploradas. Também no fundo do oceano estão vários trilhões de barris esperando pela ciência e a tecnologia.

E, principalmente, pelo capitalismo.

Jorge Nobre said...

ERRATA: Onde se lê "a prospecção, a extração e o refino do petróleo também serão mais baratas..." leia-se "a prospecção, a extração e o refino do petróleo também serão mais baratos".

Droga de língua complicada!

Marcelo said...

Jorge,

Eu sou bem cético quanto a queda no preço do refino. Por que? Porque os novos processos para quebra de petroleo pesado precisam de uma quantidade exponencialmente maior do que pra refinar petroleo leve. Obviamente haverão ganhos em eficiência que melhorarão bastante a atividade, mas pode esquecer o barril a 25 doletas.

smart shade of blue said...

Paulo,

"Fuel Cells" não são a salvação da lavoura. São apenas uma forma eficiente de armazenar energia, não de gerá-la. A energia armazenada na célula de combustível tem que vir de algum lugar e, na atual matriz energética norte-americana, vem do petróleo mesmo.

Paulo said...

Smart,
Eu sei disso, e ja tinha comentado isso com o Jorge. Porem, a conversao das 'geradoras' de fuel cell eh muito mais facil do que a conversao dos consumidores de energia. Quando carros e outros 'clientes' usarem fuel cells nada impede que uma hidroeletrica ou geradora eolica crie as cells.

[]s

smart shade of blue said...

Conheço gente que já fez as contas dessas firulas renováveis como biomassa, eólica, etc. Aparentemente, não dá nem pro começo.

Paulo said...

Hmm, firulas renovaveis. Sao tecnologias no comeco do desenvolvimento, mas nao se esqueca que hidroeletricas e alcool sao alternativas atuais, que com as fuel cels poderiam ter um impacto bem maior.

Paulo said...

E firula por firula, ate que solar power nao eh tao improvavel assim: http://news.google.com/news?q=solar+power&hl=en&lr=&sa=N&tab=nn&oi=newsr

marcelo said...

Paulo,

Esqueça solar power, é caríssima.

Jorge Nobre said...

Paulo, você leu o que o Olavo de Carvalho escreveu? Isso que se segue: A Dinamarca é, na Europa, a campeã absoluta da pesquisa de fontes renováveis de energia -- fontes que, quando saírem da fase experimental para entrar no mercado, podem libertar o Ocidente da escravidão ao petróleo árabe (e venezuelano).

Em 1998, uma pequena ilha de 114 quilômetros quadrados, Samsoe, foi escolhida pelo governo dinamarquês como sede de um experimento inédito: criar uma comunidade integralmente servida por energia renovável, limpa e barata. Soren Hermansen, gerente do projeto, afirmou na ocasião que precisava de uma década para isso. Transcorridos oito anos, o sucesso passou na frente do cronograma: cem por cento dos 4.400 habitantes da ilha, mais os turistas, têm suas moradias e locais de trabalho servidos por energia renovável produzida no local. O complexo de recursos tecnológicos desenvolvido em Samsoe deve ser lançado no mercado mundial por volta de 2008.


Porque eu tenho minhas dúvidas. Não só não ha nenhuma publicidade sobre isso na imprensa brasileira (o que é até natural) como os neocons que tanto gostam do hidrogênio nada falam sobre Samsoe, logo eles, que aplaudem tudo o que pode acabar com o poder do petróleo árabe. É claro que eu desejo e muito o fim do poder financeiro e estratégico que o petróleo dá a essa maldita cambada de ditadores árabes (e iranianos, e venezuelanos, etc.) mas eu não vou acreditar em qualquer história sobre o fim da "oil age".

Eu sou muito cético quanto a tecnologia do hidrogênio, cético quanto a biomassa e a energia solar, cético quanto ao complexo de Samsoe também. A exploração do petróleo canadense, com a tecnologia barateando os custos de extração e refino, me parece mais plausível.