Friday, February 03, 2006

Double standards

Essa nova revolta do mundo islâmico sobre os cartoons do Mohamed serve para mostrar algumas coisas.

Primeiro: o governo Bush consegue fazer merda nas piores horas possíveis. Podem ter certeza absoluta que essa besteira que eles disseram hoje ainda vai dar muito o que falar. E só não vai ser o ticket dos democratas para a Casa Branca porque infelizmente eles são outro bando de covardes políticamente corretos.

Segundo: Ainda existe algum pingo de coragem na Europa. Qualquer país europeu que mostrar o bom senso de não pedir desculpas por estar cumprido o que a lei manda, i.e. imprensa livre, terá ganho pontos na minha tabela. E aumentará ainda mais a vergonha que foi essa reação do governo Bush.

Terceiro: o problema com os países de maioria islâmica é muito maior do que a maioria das pessoas quer acreditar. Se a cultura deles estabalece regras de conduta completamente incompatíveis com as do ocidente, e no caso de desavenças eles se acham no direito de retribuir com força, o ocidente só tem uma opção, que é retribuir na mesma moeda.

Se o ocidente for visto como fraco, o problema só vai aumentar. Se eu fosse dono de qualqer jornal imprimiria os cartoons na primeira página, juntamente com as fotos das revoltas pelo mundo. Os cartoons não são provocações baratas. São a reflexão de um problema real, que é a utilização do islamismo como justificativa para violência. E mesmo que fossem provocações, figuras públicas (incluindo religiosas) estão sujeitas a sátira. Assim como outros cartoonistas/cineastas/escritores atacam os católicos, judeus, etc, os muçulmanos não tem direito algum de se achar acima da lei. Se isso ofende a lei local, ou a crença pessoal, a única reação que o ocidente pode aceitar é a manifestação pacífica. Atacar granadas em embaixadas não é uma opção.

Ou então é melhor vestir a burka e converter de uma vez.

12 comments:

Roger said...

minha opinião está aqui:

http://ramblues.blogspot.com/2006/02/animus-jocandi.html

Cláudio said...

Quando o político fala mais alto que o homem boa coisa não sai. Bush começou o serviço mas não tem cojones para terminá-lo.

Ele até encarou bem a opinião pública mundial em certos momentos mas em outros soa mais Democrata que o próprio Clinton :-)

Cisco said...

Eugene Volokh destacou que o Departamento de Estado teve bem mais espinha dorsal do que as partes mais citadas da declaração fazem parecer.

Fernando said...

Tropas no Iraq, tropas no Afeganistão, Hamas no poder, Iran á meio caminho nuclear... O pragmatismo (mesmo que sujo) venceu neste caso.

Agora, patético mesmo foi o Rei Abdullah dizer o seguinte num discurso à membros do Congresso americano: "Whilst we respect and revere freedom of speech, we condemn needless desecration and injury of Islamic sensibilities, such as the recent cartoons misrepresenting and vilifying my ancestor, the Prophet." E os caras aplaudiram.

[]s

João Philippe said...

Resta saber se novamente o ocidente vai cruzar os braços e dizer que não "morrerrá por Copenhague". Da mesma forma como resolveram a princípio não "morrer por Dantzig".

Errar é humano. Permanecer no erro é burrice.

Carlos Eduardo said...

Na época das Cruzadas havia mais honra.

Paulo said...

Cisco,
Nesse caso acho que o governo Bush sta completamente errado. Primeiro, porque eles nao deveriam dar opiniao pessoal nenhuma. O papel deles enquanto no governo eh somente defender o que eh legal, e no caso os cartoons sao legais. Se sao ofensivos ou nao, simplesmente nao importa. Se fizerem um cartoon ofensivo ao Michael Jackson eles vao falar algo?

Infelizmente, esse caso foi um de agenda nacional taking over the real issue. Queiram ou nao, os catolicos aqui nos EUA andam sob um certo ataque da midia depois que ganharam notoriedade juntamente com o Bush. E nessa o governo quis mandar uma mensagem subliminar a imprensa americana.

Bad, bad decision.

[]s

Kosher-X said...

Liberdade de expressão para muçulmanos = Código da Vinci tudo bem, mas falar de Maomé JAMAIS!

Cisco said...

Eu concordo que o governo não devia ter se manifestado, só apontei que o que foi dito de fato não foi apenas aquilo que foi relatado -- o que apenas aumenta o fator "bad decision".

Paulo, off-topic: me surpreende que tu ainda não comentou a reportagem na Weekly Standard sobre o objetivista que está tentando usar Kelo vs. New London para confiscar a casa do Juiz Souter e transformá-la no Lost Liberty Hotel (e está fazendo um documentário sobre o processo). É a tua cara.

Fernando said...

"Queiram ou nao, os catolicos aqui nos EUA andam sob um certo ataque da midia"

Queiram ou não?!? Não há dúvidas: os católicos querem se achar sob ataque da mídia!

[]s

Paulo said...

Cisco
Valeu pela dica, nao tinha lido sobre isso ainda.
Fernando,
Po, logico que eles querem se achar sob ataque. Mas que existe um ataque eu nao duvido. Os 2 lados exageram, mas se fosse maluquice do O'Reilly a coisa nao ia pra frente...

[]s

Fernando said...

A religião tem uma marcha só: no ataque (inclusive quando se faz de vítima). E há muitos mais malucos do que o O'Reilly. Esse é fichinha perto dos outros.

[]s