Friday, February 17, 2006

The great divide

O Pew publicou outra pesquisa interessante sobre a felicidade dos americanos.

Algumas das conclusões:
- Primeiro de tudo, os resultados vem se mantendo constantes por um bom periodo de tempo (a pesquisa existe desde 1972).
- Casados são mais felizes que solteiros.
- Pessoas que vão à igreja são mais felizes dos que não vão.
- Republicanos são mais felizes que Democratas e independentes.
- Ricos são mais felizes que os pobres.
- Brancos e latinos são um pouco mais felizes que negros.

Do outro lado da moeda temos:
- Ter filhos não muda a felicidade das pessoas.
- Imigrantes são tão felizes quanto nativos.
- Empregados, desempregados e aposentados são igualmente felizes, com a exceção de desempregados homens.
- Homens e mulheres são igualmente felizes.
- Pessoas que tem animais de estimação não são mais felizes.

Pode parecer que tudo isso é óbvio, mas algumas trends são bem interessantes:

Red is really better: 45% dos Republicanos é muito feliz, comparado com 30% dos Democratas e 29% dos Independentes. E essa diferença também se mantem constante desde 1972, o que mostra que a felicidade não é relacionada com estar ou não no poder.

Os Republicanos são em média mais ricos, mas mesmo quando o fator dinheiro é considerado, ainda são mais felizes. A mesma coisa se aplica a ideologia. De longe, os mais infelizes são os hard-core liberals.

Outra conclusão interessante é a de que jovens são menos felizes que os mais velhos. Principalmente os homens.

E nem mesmo o dinheiro é um fator infalível: Negros que ganham mais ou menos são igualmente felizes.

Mas dentre todos os fatores analisados, o mais forte estatísticamente foi a saúde. Da mesma forma, o fator mais determinante da infelicidade foi a falta de saúde.

Tudo isso me lembrou essa outra pesquisa do Pew que descreveu as principais diferenças entre os os grupos políticos americanos. Nesse caso, um fator diferenciador ficou evidente: otimismo.

Interessante como esses dois sempre andam juntos.

11 comments:

Fernando said...

Agora só falta saber qual lado é mais honesto sobre sua própria felicidade...

Cláudio said...

Se consideramos que os hard-core liberals são idealistas talvez a sua infelicidade seja explicada por esta frase de Robert Anton Wilson:

"Cynics regarded everybody as equally corrupt... Idealists regarded everybody as equally corrupt, except themselves."

Imagina viver num mundo onde ninguém presta, exceto você.

Homero said...

Quando a Capes costuma avaliar os cursos de pós-graduação nas universidades brasileiras, sempre pergunta aos alunos o que eles acham dos cursos: se o curso é satisfatório, se os professores são bons, se a infra-estrutura é adequada, etc.

É batata! Sempre os piores cursos são os mais bem avaliados pelos próprios alunos.

Moral da história: os medíocres se satisfazem mais facilmente que os exigentes.

Paulo said...

Fernando,
Po, mais que mentira elaborada essa! Grupos diferentes em pesquisas anonimas por mais de 30 anos...

Homero! Vc ainda por aqui? De uma certa forma vc tem razao. Quem achar que nada na vida eh bom o suficiente nunca vai estar satisfeito com nada. Vc os chama de mediocres, outros chamariam de realistas. Eh mais ou menos relacionado com o que o Claudio falou.

[]s

Fernando said...

Paulo,

De mentiras elaboradas vive o mundo. Se republicanos são realmente mais otimistas, isso nem sempre parece ser muito saudável ("eles vão nos receber com flores"). :)

[]s

Paulo said...

Bom, nao sei se aquilo pode ser incluido na categoria otimismo.

Mas eh verdade que ser muito otimista pode ser ruim. Assim como ser cinico demais eh ruim. Mas sinceramente, nao vejo vantagem nenhuma em ser pessimista. E acho que esse pessimismo da esquerda vem da visao fatalista que eles tem da vida.

Logico que existem excecoes, e ate mesmo na pesquisa a diferenca de felicidade entre um e outro nao eh gigantesca.

Mas eh consideravel.

[]s

Claudio said...

olá, Paulo,

olhei rapidamente os resultados. Pensei um bocado. Segundo certos comentários que vi em outro post do SSoB, deve ter gente dizendo que é errado calcular percentuais de pessoas pois as pessoas são distintas.

He, he, he.

difícil não fazer a piada.

Claudio said...

Paulo , eis algo útil

http://www.sipri.org/contents/milap/cooper_russia_20060130

Paulo said...

Pior Claudio, se eu fosse seguir a logica smartiana poderia colocar no titulo "Numero de pessoas felizes eh o mais alta da historia americana" :-)

Claudio said...

paulo, se puder me enviar um email, tenho alguns dados que sao oficiais sobre gastos militares. abracos

claudio

Paulo said...

Claudio
Me manda uma mensagem no fyiblog@yahoo.com

[]s