Friday, April 06, 2007

The unfairness of American theocracy

Isn’t it unfair that we Americans are working hard in this Good Friday while people all over the world are at the beach enjoying life?

Especially if you consider that America is a theocracy, while other countries like France, Germany, Spain, etc, are modern secular democracies, the greatest examples of church and state separation for the world.

God, even in Sweden Good Friday is a public holiday!

I guess this just shows how Americans are cold-hearted, profit-seekers, crazy-pagans who can’t even make a decent theocracy!

We should hire Mahmoud as a consultant. I bet Pelosi could stop by on her way home and get this all arranged. Now that’s a plan!

13 comments:

PATRICIA M. said...

Hahahahahahha. Isso, e ainda podemos constatar que as secular democracies como Alemanha e Franca estao muito melhores em termos economicos... Hahahahahahhaha.

Cláudio said...

vocês estão é morrendo de inveja! ;-)

Andre Kenji de said...

Hmmm....

Trabalhamos no Dia de Ação de Graças.

Se bem que o fato de ter que trabalhar no Memorial Day não é tão ruim.

fyi said...

Andre
Eu estava falando de feriados religiosos...

E se for para comparar raw numbers, os feriados aqui sao muito poucos comparado com o Brasil (nao sei dizer dos outros paises).

Cláudio said...

Paulo, minha empresa tem sede nos EUA. Sempre que vamos tirar nossas férias de 30 dias, ouvimos gracinhas do tipo "Uau, tudo isso?". Fazendo um somatório por alto descobrimos que:

1 - Nossas férias são em dias corridos (30), a deles em dias úteis (15, podendo chegar a 20 com o tempo de casa)

2 - Eles têm 10 sick days por ano que podem tirar isoladamente sem justificativa. Ou seja, podem emendar com um feriadão e fazer um big feriadão. É comum ouvir coisas como "Semana que vem vou tirar meu sick day".

3 - Não sei o número de feriados aí, mas não é tãaaao pouco assim.

Anyway, mesmo que a diferença fosse absurda, faz parte do pacote. Como também faz pagar 4000 mil reais para um analista de sistemas entre o pleno ou senior.

Ou será que eles queriam o melhor dos dois mundos?

fyi said...

Claudio,
Minha empresa tambem tem um pacote de ferias bom. O lance dos sick days eh abusado por certas pessoas, mas nao por outras.

Mas o ponto era somente sobre feriados oficiais. Se a empresa X quer dar 4 meses de ferias por ano eu nao tenho nada contra.

Cláudio said...

Anyway, voltando ao assunto original: a maior prova de que os EUA são uma teocracia é o fato de o "Buxi" dizer "God help me..." e "God bless America".

:-)

(Não ri porque eu JÁ vi gente considerada intelectual aí nos EUA dizer isso).

Hermenauta said...

Você olhou no lugar errado. Não é que a "America" seja uma teocracia _ ainda. Mas há quem gostaria que fosse.

"This Republican Party of Lincoln has become a party of theocracy."
U.S. Representative Christopher Shays, R-CT, (New York Times 3/23/05)

Aqui..

fyi said...

Smart,
Ah, sure. Sempre a mesma coisa: o problema nao eh a realidade e sim o potencial. Mesma coisa da discussao sobre "imperio": Nao eh que os EUA sao um imperio, mas tem gente que gostaria! Nao eh que o Bush diminuiu liberdades civis, mas bem que ele gostaria!

B.S.

Hermenauta said...

Paulo,

E porque motivo a discussão sobre o "potencial" estaria além dos limites de uma preocupação racional? Seria irracional se perguntar sobre se o NSDAP tinha o potencial de fazer a Europa arder? Seria irracional se perguntar se um alquebrado Lenin exilado na Finlândia teria o potencial de liderar uma revolução na Rússia? Entre tantos outros "ifs".

Eu, particularmente, acho exagerado dizer que a direita religiosa americana possa realmente assumir o poder nos EUA _ nas CNTP. Mas mesmo sem a hegemonia, podem atrapalhar bastante, dando apoio a decisões bem menos "religiosas" dos neocons abrigados na Casa Branca, principalmente em matéria de política externa.

fyi said...

Smart,
Nao existe problema, contanto que seja mantido no nivel da realidade.

Eh basicamente a mesma critica que vc tem contra o Olavo e a mania dele de se preocupar com as FARCs da vida.

Essa extrema religiosa tem muito pouco poder. Mais que isso, ela nem mesmo representa a maioria religiosa. Eh tudo um jogo de cenas. Se um cara como o Bush, que teoricamente eh "um representante" desse pessoal eh o que existe de pior, o risco eh zero.

O negocio eh que ai vem as inferencias malucas de que o Bush invadiu o Iraque porque quer o fim do mundo, que os neocons sao na verdade cavaleiros do apocalipse, etc.

A esquerda infla essas "ameacas" e coloca a questao de uma tal maneira que esconde os reais inimigos.

That's when the problem starts.

Hermenauta said...

Paulo,

Bem, maluquice ou não Bush estabeleceu as tais "faith-based policies". Ele é sensível ao eleitorado religioso conservador. Um eleitorado que não é tão pequeno assim, na verdade.

O atual momento político é o de um jogo de provocações. Essas coisas costumam espiralar. Se os EUA atacarem o Irã, como parece que farão, não é impossível que venham a se deparar com um novo 11 de setembro na homeland. E isso pode, sim, mudar as CNTP e consolidar uma mentalidade "cruzadista" na Casa Branca. Vivemos em uma época muito volátil, basta comparar o pós-queda do Muro com o clima de 2002.

Mas me agrada que você seja adepto de uma visão mais pé no chão. Quem sabe você repense sua opinião segundo a qual os EUA estão no Oriente Médio para "propagar a democracia" e não pelo petróleo...

Camila said...

Eu sou protestante. Nao temos essa coisa de Good Friday sem carne, etc. Nao seria pq os EUA tem uma base protestante muito maior que a catolica?