Friday, December 02, 2005

Bad News Media

É considerado normal que a mídia seja atraída por notícias negativas. "Boas notícias não vendem jornal", como diz o ditado.

Seria essa uma questão de demanda ou uma certa limitação da oferta?

A situação atual da economia americana é um prato cheio para a análise desse problema:

Durante a campanha presidencial de 2004, quando a retórica política andava a toda, a porcentagem do povo americano que acreditava que o país estava em recessão era de 36%. Agora, um ano depois, com um PIB 3.7% maior e com o desemprego caindo de 5.5% para 5%, a porcentagem subiu para 43%.

E não é difícil entender porque tanta gente acredita nisso. Nos jornais, na TV, qualquer notícia é transformada em algo negativo.

Essa semana foi divulgado que a economia cresceu 4.3% (anual) de Julho até Setembro. 215 mil empregos foram criados em Novembro, e os gastos dos consumidores, que contam por 70% da economia, aumentaram também 4.2% na taxa anual. A taxa de desemprego continua em 5%. O preço da gasolina continua caindo.

Mas se você for no Google News e buscar por economia, a primeira que aparece é "Fed Chief Sees Risks for Global Economy".

Abra a seção de Business do NYT: Acima da reportagem sobre o aumento de empregos, estão headlines para "Sales of Impotence Drugs Fall, Defying Expectations e "Are Lawyers Being Overbilled for Their Test Preparation?".

Atualmente um número recorde de 69.2% dos americanos tem casa própria, mas tente procurar por noticias sobre "Home Ownership" e o resultado é deprimente.

Será que esse negativismo é algo natural ao ser humano? Ou será que existe um componente político/ideológico nesse tipo de situação?

12 comments:

Leila said...

Uau, o preço da gasolina continua caindo! Baratinho, só 2,45 dólares o galão.

Leila said...

Agora, seriamente... Acredito que haja sim uma tendência da imprensa, no mundo inteiro, a dar mais destaque a notícias alarmantes e negativas. Um dos principais papéis da imprensa é alertar a população, para que ela se prepare, busque estratégias de defesa, previna-se contra intempéries.

Dito isso, eu acredito que a visão negativa do americano quanto à economia é contaminada por vários fatores negativos, como a guerra no Iraque, o custo de vida alto, a dificuldade de acesso da maioria a planos de saúde, remédios e previdência, a queda dos rendimentos que garantiriam uma aposentadoria tranqüila para os baby boomers (desde o Sep 11) e por aí vai. Talvez você não conheça muitos americanos pobres, mas a vida aqui para quem tem renda familiar inferior a 35 mil por ano é muito dura.

Paulo said...

Ja ouviu falar sobre oferta e demanda Leila? Considerando todas as crises do ano e como a economia reagiu, acredito que so resta culpar o preco da gasolina mesmo.

E mais, nao entendo como uma diminuicao de 20% no preco em 2 meses seja desprezivel...

Paulo said...

Leila,
Quando eu vim para os EUA meu salario era bem perto desse numero que vc falou.

Todos esses problemas que vc citou nao pioraram no ultimos anos, aias, todos os indicadores com excecao de macros como conta corrente e trade melhoraram.

Vamos ver a reacao da imprensa quando o proximo democrata assumir...

Leila said...

Paulo, já ouviu falar em especulação de preços? Porque será que a Exxon Mobil teve lucro recorde no mesmo quadrimestre do Katrina?

Todo mundo que eu conheço reclama do preço da gasolina, sejam pobres ou ricos. Quando eu cheguei aqui, há cinco anos atrás, era menos de 2 dólares o galão. O preço da gasolina pesa demais no orçamento do americano, especialmente com a subarbanização, urban sprowl, das cidades do país, e a mania dos SUVs e pickup trucks.

Paulo, você é jovem e talvez não tenha americanos de idades e classes sociais variadas na família. A situação é desesperadora em termos de health insurance e aposentadoria para a maioria da população. E, sim, piorou depois do 9/11. O seguro de saúde e os remédios subiram pra cacete de preço nos últimos cinco anos. E o preço da casa própria??? Pelo menos aqui em Sacramento as casas triplicaram de preço nesse espaço de tempo (sem exagero).

Cláudio said...

Eu sou mais cético em relação ao ser humano que você, Paulo. Por isso creio que o que existe é o cumprimento de uma agenda, seja ela ideológica ou não. As pessoas são geralmente passivas em relação à obtenção de informação e, pior, relutam em rever suas crenças, mesmo quando a realidade as põe em cheque. Quem domina a fonte das informações, domina o resto.

Paulo said...

Leila,
Entao vc esta do lado do Bill O'Reilly nessa do petroleo. As Exxons da vida tiveram lucro recorde porque a reacao normal do mercado eh essa. Quando ha uma expectativa de escassez de um produto, os precos sobem. Como esta se vendo, essa reacao eh de curto prazo, com a estabilizacao da supply tudo volta ao normal. O unico crime seria se as empresas tivessem combinado o preco, o que ate agora nao se provou. Vale lembrar qe alguns anos atras as petrleiras tiveram prejuizo, e ninguem anunciou isso no jornal.

E eh logico que as pessoas reclamam do preco, ninguem gosta de pagar mais. Mas o fato de que as pessoas nao cortaram nem mesmo as viagens de ferias mostra que o impacto no consumidor nao foi tao grande.

Quanto a pobreza, todos os indicadores mostram que a situacao continua estavel no governo Bush, apesar das varias crises. O preco dos remedios eh um problema cronico, e ironicamente, o Bush ja fez mais (o que para muitos significa mais problemas) que o Clinton com seu programa do medicaid.

[]s

Bruno said...

Tenho uma forma melhor de mostrar aos americanos (e alguns brasileiros que vivem aí) como a economia deles vai bem: COMPAREM CONOSCO.

Por exemplo, você Leila, está oficialmente convidada a largar Sacramento e vir pro RJ, pagar 31% de ICMS no preço da gasolina (R$ 2,24 o litro, ou seja, 1 dolar o litro. Só não se esqueça que 1 galão é o equivalente a 4 litros de gasolina, o que significa que no nosso "Brasil autosuficiente em petróleo" pagamos o dobro do que você paga aí). Se levar em conta que não temos transporte público, agora imagine o quanto esse preço pode pesar numa renda per capita anual de 7 mil dolares (por paridade de compra).

Nosso health care system carioca é tão eficiente que você nem percebe que existe. Deve ser porque a maioria dos hospitais simplesmente fechou a emergência por falta de condições de trabalho.

E nossa aposentadoria pública é exemplo pro mundo todo: não importa que tenhas recebido 30 mil reais por mês ao longo de toda a vida, porque você só vai ganhar o limite que o INSS paga, R$ 2.400,00. Mil dolares por mês, depois de ter contribuído por 30 anos em cima dos 30 mil que ganhava. Que tal?

Tudo isso, pra responder à pergunta do Paulo: realmente, o ser humano é negativista e nunca está satisfeito com o que tem. Basta ver como alguns brasileiros reclamam da vida aí nos EUA...

destruidor said...

Você ainda tenta semear mentiras e fracassou em perceber que na Internet isso é impossível.

1) Foreclosures up 35 percent this year

"BOSTON --Home mortgage foreclosure filings are on the rise in gritty cities and leafy suburbs, according to a new report showing a 35 percent increase statewide through October."

http://www.boston.com/news/local/massachusetts/articles/2005/12/07/foreclosures_up_35_percent_this_year/


2) U.S. consumer borrowing plunges

"WASHINGTON—Consumer borrowing in the United States plunged in October by a record amount in dollar terms, reflecting a big drop in demand for auto loans."

http://www.thestar.com/NASApp/cs/ContentServer?pagename=thestar/Layout/Article_Type1&c=Article&cid=1133995814049&call_pageid=968350072197&col=969048863851


"Oh, I mean, it's not relevant. So why should I waste my beautiful mind on something like that?"
-- Babs "Mocréia" Bush

Gus Skarlis said...

Nice Blog -- If you would like to learn how to save thousands on your next vehicle purchase check mine out...

http://www.BeforeYouBuyACar.com

Anonymous said...

J'esp�rais trouver un certain nombre de diff�rents emplacements sur le avoid foreclosure et je n'ai pas �t� d��u.Sincerely, Danilo avoid foreclosure

Realty Expert said...

In the year prior to Hurricane Wilma, which ripped through south Florida in October, 2005, 64 homes had new owners at the Boca Country Club. If you're interested in Boca Raton Homes, a snapshot of the present may show the Housing Bubble has already popped. Read more ...