Monday, December 12, 2005

We are what we repeatedly do

A irracionalidade desse espírito assistencialista sempre me deixa perplexo.

Ai você pensa (como eu já pensei): "Ah, isso só acontece porque o governo não precisa dar satisfações à ninguém, e no fim das contas, o povo não entende a tecnicalidade desse tipo de programa".

Nope. Todos entendem. Eles querem almoços de graça. Ou dito de outra forma, querem dividir a conta na porrada. E coitado de quem discordar.

A maior diferença atual entre um país que vai para frente e um que vai para trás é que um consegue crescer mais rápido que o apetite dos looters, e outro não.

Alguns países balançam, bem ali no meio do caminho. Outros, parece que nunca aprendem.

Mas o que fazer quando certos "intelectuais" insistem na sua doutrina desonesta, apesar de todas as evidências mostrarem o contrário?

Como melhorar quem não quer ser melhorado?

6 comments:

Cláudio said...

Pede esse livro pro Papai Noel:

http://c-avolio.com/2005/12/thomas-sowell.html

Fernando said...

He he he, aquele post do Idelber machucou mesmo. :)

Abraços

Paulo said...

Claudio,
Esta na minha wish list :-)

Fernando,
Nada a ver, aquele post nem merece resposta de tao silly. Eu escrevi esse depois de ler a reportagem do nyt.

[]s

Jorge Nobre said...

Lenin dizia que o comunismo anda dois passos para frente e um para trâs. Mas pelo jeito isso acontece é com o capitalismo (o que me ocorreu lendo os links, principalmente os terceiro, quarto, quinto e o último).

Se o país tiver sorte, claro.

destruidor said...

As suas mentiras são muito engraçadinhas, Paulo.

Porém, quão insignificante é você diante de Xymphora?

Qual é o ângulo da sua curvatura diante do Árabe Nervoso?

Pense nisso.

Paulo said...

Xymphora? Arabe Nervoso!

Serio Destruidor, se vc continuar lendo esses tabloides vai acabar destruindo (no pun) os ultimos neuronios que ainda sobraram.

Sai dessa vida.