Thursday, December 22, 2005

Pobre América do Sul

Mais um maluco no poder. Mais um passo para trás.

A parte mais decepcionante dessa eleição do cocaleiro Morales não é a nacionalização das indústrias bolivianas, nem sua política pró-coca. Nem mesmo quem ele considera seus amigos e seus inimigos.

O pior foi ver que na perdeu-se um país que, apesar dos muitos pesares, vinha caminhando na direção certa.

(Heritage Foundation e Fraser Institute)


A Bolívia estava desmoronando em 1985, quando algumas reformas liberais foram implementadas. Apesar de limitadas, essas reformas deram muitos resultados rapidamente.

A hiperinflação, que chegou a 23.000%(!) em Setembro de 1985 caiu para 18% em 1990 e vinha sido mantida em menos de 10% desde 1995.

Crescimento econômico vinha com uma media de 4% ao ano, depois de contrair 10% a cada ano na primeira parte da decada de 80.

A dívida externa foi diminuida de 100% do PIB para menos de 50%.

Nos últimos 7 anos, a situação piorou. Muitas reformas que deveriam ter sido feitas não foram. E como sempre acontece nesse nosso rico porém ignorante continente, o povo resolveu jogar fora 20 anos de melhora e voltar para tudo que já foi tentado e nunca funcionou nos últimos 180 anos.

Pobre América do Sul.

7 comments:

Cisco said...

Eu queria poder dizer que o eventual fracasso de Morales será uma vacina para que este tipo de erro não se repita no nosso continente, mas quem eu estaria enganando?

Cláudio said...

E Veríssimo já decretou:

"A tendência para a esquerda até no Chile, suposto mostruário dos melhores produtos do neoliberalismo no continente, tem várias faces e causas, mas pode ser resumida numa frase: o consenso de Washington fracassou."

Paulo said...

Claudio,
Eu nao duvido nada que o Chile perca tudo que consquistou nos ultimos 20 anos. Afinal, no comeco do seculo passado a Argentina era mais rica que Espanha e Franca.

Nada eh impossivel por aqui (ai)

Roger said...

"eventual fracasso de Morales"(?!)

O fracasso dele é liquido e certo.

Marcelo said...

O contrato de fornecimento de gás da Bolívia para o Brasil foi tão mal negociado do lado brasileiro, que a Petrobras até hoje toma ferro tendo que pagar caríssimo por um gás que nem chega aqui.

E sabem quem o lider traficante quer ter como parceiro comercial para venda de gás? A Argentina, aquele país que tem uma tarifa interna residencial 10 vezes menor do que o Chile. Não é lindo? Za Rodina! Za Stalina!

Fernando said...

"se o povo não tem pão, que coma pasta de coca!"

Um happy holidays bem PC pra tu, Paulo! :)

Abraços

Leonardo said...

É o nosso furacão Latrina, mais devastador que o de New Orleans: ano que vem talvez devemos incluir mais 7 banana republics na lista dos chic gauche.

Mas não há nada de novo sob o sol escaldante dos trópicos, costumamos mesmo embarcar nas idéias furadas décadas após seu fracasso no resto do mundo.

O interessante é algo que não ouço há muito tempo nos discursos da Cinelândia: a tese de que a esquerda não toma o poder porque os EUA não deixam.