Friday, August 12, 2005

Lula

Me perguntam porque falo tão pouco sobre esses escândalos do governo Lula. A resposta é simples: Essa crise (e por tabela esse governo) é completamente fútil.

Além disso, não tenho nenhuma birra particular com o sujeito. Aliás, sou totalmente contra esse joguinho de cult of personality de políticos, seja para o bem ou para o mal. Ouvi o discurso dele ontem, e meu único sentimento foi pena.

Não que eu ache que ele é inocente. Pelo que tudo indica, ele estava bem ciente da situação, e a dúvida me parece ser somente sobre o que ele fez pessoalmente ou o que mandou/permitiu outros fazerem.

O negócio é que o Lula, e de certa maneira o PT, são somente consequências de problemas muito maiores. Se ele for impeached ou não, não fará a menor diferença. E é muito fácil comprovar isso. Pense em qualquer opção, partido ou candidato, que terá um governo muito diferente do atual. Simplesmente não existe.

Não sei o suficiente para dizer quando e porquê essa situação começou, mas acho que atualmente temos três problemas principais: A constituição, uma total falta de opções ideológicas (gerada por uma cultura apolitica) e nosso sistema educacional. Enquanto não tivermos mudanças consideráveis nessas áreas, nada irá mudar.

O Brasil é um fusca dirigido por elefantes. Troca-se os elefantes, pintam o fusca de uma cor diferente e esperam que a nova combinação funcione. Pior, o povo ainda fica assustado quando os pneus estouram.

7 comments:

Marcelo said...

Paulo,

Vou ter que discordar de você aqui.

De certa forma essa constituição foi criada cheia de "direitos" justamente por esse pessoal, por esses elefantes.

Esses elefantes viviam dizendo que o problema nao estava no fusca, que bastava os elefantes certos estarem na direção que o país decolava.

O que se fecha com o impeachment do Lula é uma página tão importante na história do Brasil quanto o fim da ditadura militar ou o fim da Era Vargas. Acabou-se a Era dos Mágicos aqui no Brasil.

Se o que vamos ter no futuro vai ser um Garotinho ou um P qualquer roubando menos e vagarosamente caminhando para um alicerce institucional mais sólido eu não sei dizer. O que eu sei é que a esquerda brasileira vai precisar de muito óleo de peroba pra dizer que pode salvar o mundo das forças malignas neoliberais.

Também ví o discurso do Lula. Diferentemente de você, não tive pena. Ele alí mostrou o que ele sempre foi: Uma figura mediocre, autista, incapaz de perceber a realidade em seus nuances mais complexos.

Somente os picaretas da esquerda e os coitados que compravam os discursos deles é que acreditavam que o Lula poderia ser alguma coisa a mais do que isso.

Tem um ditado no exército que diz que se você promove um ótimo sargento a general, você ganha um péssimo general e perde um ótimo sargento. Talvez o Lula não devesse ter saído de cima do carro do sindicato.

Leonardo said...

Marcelo, discordo de você, pra mim não muda nada. A Luciana Genro, do PSOL, fez o velho discurso do neoliberalismo no programa do Jô Soares e foi aplaudida efusivamente. Quando ela disse que o Lula não deu certo porque "era mais fácil agradar o Bush do que romper com o capitalismo", eu dei uma gargalhada.

Segundo ela, a estrela (do PT) está caindo, mas o sol (do PSOL) está crescendo. E os aplausos da platéia fazem parecer que tem razão. A verdade é que o brasileiro médio é socialista, mesmo sem saber o que é socialismo.

Pode botar quem quiser no governo, não vai fazer a menor diferença. No Brasil, plus c'est change, plus c'est la meme merde.

Leonardo said...

E sobre a constituição, quem vai mudá-la?

Os deputados comprados pelo PT, os juristas de esquerda que sonham com a justiça social, os políticos que não terminaram o ensino primário, os deputados do PL que lutam por um mundo melhor e sem desigualdades, os do PFL que só querem uma boquinha no governo ou os nossos militares estatizantes?

Não temos founding fathers aqui, a lei que nascer do nosso povo já nasce podre.

Cláudio said...

Paulo, concordo com você, mas acho que os três problemas citados são na verdade apenas 1: sistema educacional. Nossa Constituição e a falta de opções ideológicas são apenas consequências disso.

E é justamente por isso que eu não vejo NENHUMA saída para o Brasil, visto que aqui já há uma grande massa deseducada e autosustentável capaz de manter todo esse sistema em funcionamento permanente. O tipo de políticos que serão alçados ao poder serão os mesmos pois falarão para as massas aquilo que elas querem ouvir. Basta ver os políticos da nova geração: o discurso deles é exatamente os mesmos dos seus pais, tios e avós.

Nossa sorte, por incrível que pareça, residirá em eventos como esse do PT, onde os "ideais" serão traídos. Sofreremos com a corrupção mas será um preço baixo para não afundarmos na utopia.

Tem um livrinho do Eric Hoffer que sempre comento chamado "The true believer - thoughts on the nature of mass movements" que deve ser baratinho por aí. Lá ele faz um apanhado de tudo que é necessário para se implantar uma revolução. Basicamente destruir as bases da sociedade atual e oferecer uma alternativa utópica, usando-se intelectuais como agentes de destruição das instituições sociais, principalmente família e igreja.

Você vai lendo o livro e associando com o que vemos neste país e lamentavelmente percebe que estivemos sendo preparados para uma revolução faz tempo. Já estamos no ponto.

O problema é que vamos ficar vivendo nesse regime pré-revolucionário porque nenhuma revolução virá.

Jorge Nobre said...

Isso vai longe. o problema...

Antes de 1964 havia um partido liberal de direita, a UDN. A partir da luta contra a ditadura de Vargas surgiu um partido de direita e liberal, a UDN. Porque não surgiu um partido assim a partir da luta contra a ditadura dos militares? É um mistério que eu não consigo entender.

Paulo said...

Marcelo,

Infelizmente tenho que concordar com o Leonardo. Vao acabar dizendo que o PT falhou porque nao era suficientemente de esquerda. O ciclo vai continuar, talvez ate com uma volta a um centro-esquerda mas nada diferente.

Concordo tambem contigo Claudio, podemos reduzir tudo a educacao. Tanto que se um dia eu ficasse bilhonario meu sonho seria construir uma escola de verdade por ai.

[ ]s

Julia said...

Estou atrasada, não vai dar tempo de elr os outros comentários. Só vou dizer, por enquanto, que acho que na verdade o Brasil é um elefante dirigido por ratos.