Monday, May 16, 2005


Segunda, 16 de maio, 2005

Afinal, o que é um Blog?

Depois de ler os comentários do meu post sobre a longevidade dos blogs e especialmente após ler a resposta do Iraldo a este post do LLL, cheguei a conclusão de que a discussão precisa ser reformulada.

A real questão é: O que é um blog?

A maioria dos dicionários ainda não tem ainda uma definição. O Merriam-Webster, o meu preferido, não tem. A wikipedia define blog como sendo "A weblog (usually shortened to blog, but occasionally spelled web log) is a web application presented as a webpage consisting of periodic posts, normally in reverse chronological order. The term blog came into common use as a way of avoiding confusion with the term server log."

Isto é, uma descrição da funcionalidade técnica de um blog. Ainda assim, é uma definição errada na minha opinião. Blog não é uma Web application. É somente uma web page tradicional, que usualmente é publicada por uma web app especializada (como Blogger). Nada impede um usuário comum de criar seu próprio blog manualmente. Eu mesmo fazia isso na primeira versão do meu site. A única vantagem de usar um serviço como o do Blogger é praticidade.

Essa falta de entendimento das características técnicas pode ser a origem da confusão sobre o conteúdo e objetivo de um blog.

Blog é simplesmente uma convenção. Uma convenção bem flexível por sinal, e que vem mudando rapidamente. Inicialmente eram websites com conteúdo pessoal (diários online), onde os autores falavam sobre seu dia a dia. Depois começaram a surgir sites que tratavam de assuntos específicos, como política, esportes, etc, e que mantinham como principais características em comum com os blog pessoais a atualização frequente e estilo amador.

A partir daí, criou-se o meme de que blogs eram um meio revolucionário, e qualquer profissional (especialmente jornalistas) que não tivesse um blog estava ficando para trás.

A confusão ficou tão grande que hoje em dia, quase qualquer site pode ser chamado de blog. A diferença entre um blog como o Instapundit e um site como o Drudge Report é mínima.

Voltando a discussão do LLL, o Alex disse "Quanto mais eu ficar conhecido como blogueiro, menos ficarei conhecido como escritor. Mais tarde, ainda é capaz de algum boçal dizer "o blogueiro e dublê-de-escritor Alex Castro".

Ele reconhece que a tática atual não está funcionando, mas não identifica o porquê.

Na minha opinião, o problema maior é que ele partiu da premissa que leitores do blog seriam potenciais leitores do seu livro. Ele acreditou que o blog seria um passo intermediário que no fim levaria a publicação do seu livro.

Eu concordo 100% com a resposta do Iraldo. Blog e livros são duas coisas completamente diferentes. Acreditar que um levaria ao sucesso do outro seria como acreditar que somente o sucesso de um blog sobre política levaria a eleição de algum cargo público (Como ficou provado no caso Dean).

Esse tipo de associação está ficando tão comum que quando eu digo que eu sou um analista de sistemas e que o meu blog é somente um hobby (algo que deveria ser óbvio) algumas pessoas acham que estou buscando uma justificativa para o suposto "fracasso" da minha carreira de jornalista/comentarista/ou seja lá o que for!

A confusão aumenta quando o Alex quer criar mecanismos para profissionalizar o site. Afinal, qual é o produto sendo vendido? O conflito de objetivos é claro. Tanto que os poucos jornalistas que tem "blogs profissionais" se dedicam ao blog da mesma maneira que se dedicavam ao jornal ou revista que trabalhavam antes. Esses blogs só se tornaram profissionais justamente porque eram o meio para um fim específico.

Resta ao Alex definir se quer ser um "blogueiro profissional" (nada mais que um escritor que publica pequenos artigos online) ou um escritor de livros que usa um website como instrumento de marketing. Ou quem sabe um escritor que usa o blog como hobby.

De qualquer forma, querer fazer tudo ao mesmo tempo é um grande erro. Definir bem um objetivo é o primeiro passo para o sucesso.

5 comments:

Claudio said...

Paulo, uma ótima discussão pode surgir deste post. Também sou analista de sistemas e comecei meu site como um passatempo. É isso que ele é até hoje e dificilmente disso passará. Imagine você que eu recebi convites para escrever para sites jornalísticos. Tive que recusar. Se a lisonja era grande, maior era minha auto-crítica. Não sou jornalista! Quando as coisas apertam no trabalho ou na vida pessoal, a primeira coisa que vai pro espaço é o meu site. Acho que confundir blogueiro com jornalista é o primeiro passo de um site jornalístico rumo ao fracasso.

Alex said...

paulo, acho que o único problema foi ainda nao ter publicado o livro. se tivesse, estaria vendendo meu proprio livro pelo blog como vendo outros pelo sub... graças ao blog, eu sou minimamente alguem... sem isso, eu seria 100% desconhecido, aí mesmo que ninguem compraria um livro meu.... nao acho que a estrategia falhou nao, nem um pouco... acho que teve um sucesso além das minhas expectativas... falta só o último passo...

leia isso aqui:
http://www.alt1040.com/archivo/2005/05/16/la-pirateria-es-buena/

Raimundo Arão said...

Sem mérito ou desmérito, mas a minha visão é que o Alex do LLL é mezzo entertainer, mezzo marketeiro pessoal. E minha impressão é que este é o franco objetivo do blog dele, e pronto. Não sabia que havia essa questão dele "sair do armário" para assumir isto.

Pessoalmente, escrevo no Labareda porque o Carlos gentilmente cedeu o espaço dele. Além de ser uma experiência agradável, gosto de me expressar livremente. Não tenho meta, nem pauta, nem missão. O conteúdo é randômico, varia do infame ao sério. Vou parar no dia que torrar o sacconi, sem dó nem piedade.

Para a preservação das árvores, não carrego a menor vontade de escrever livros, gastar folhas, com meu ócio criativo. O blog está de bom tamanho. Se soubesse de algum comprador para o suposto livro, um maluco rasgando dinheiro, mandaria internar.

Suricata said...

Então Paulo, quero primeiro babar o ovo e dizer que adorei seus textos.

Sobre o blah_blah, ou a real questão, vejo que blogue é para encher o indivíduo, queira ele vender o peixe ou soltar a franga. É o que eu faço, ou pretendo fazer, com os meus dois bloguinhos. Abraço.

Claudio Costa said...

Prá mim blog é exercício e diversão, mais isto do que aquilo. Divirto-me escrevendo e aguardando os comentários. Aproveito até para postar coisas sérias, falar de minha vida profissional, comunicar-me com pessoas que passo a conhecer virtualmente. Por hora, é uma diversão ótima! É gostoso.