Monday, September 12, 2005

Meio, fim, and in between

Já passou da hora para que se invente um substituto para a palavra blog. O termo já perdeu o sentido há muito tempo. E anda causando uma bagunça danada.

Muitos confundem a semelhança do meio com uma possível semelhança de conteúdo. Por exemplo, um blog como o LLL, tem muito pouco a ver com este meu. Eu não escrevo sobre minha vida pessoal, não estou promovendo meu livro, etc. Seria mais lógico comparar o LLL com uma novela do que com um blog como o meu.

Outra confusão é com o objetivo de diferentes blogs. A aparência e conteúdo daqui pode até ser semelhante à de blogs como o do Cesar Maia, ou do Marginal Revolution, mas posso garantir que os objetivos dos 3 blogs são totalmente diferentes, assim como são os autores.

Tudo isso pode parecer óbvio, mas não é.

As consequências dessas misconceptions são muitas. Certos nobodys começam a achar que são somebody. Leitores ingênuos aceitam opiniões subjetivas como fato. Muitos esquecem a diferença entre trabalho e hobby.

O novo paradigma criado pela internet, com um fluxo de informações barato e de alto alcance, ainda não foi totalmente compreendido. Blogs são a bola da vez, e logo logo devem ser substituídos por algo diferente.

Da minha parte, tudo continua como antes. Este blog foi criado e é mantido com o único objetivo de me divertir. Posto o que eu acho interessante, e a enorme maioria dos assuntos tratados não é relacionado com a minha profissão. Aceito todo tipo de comentários, adoro qualquer troca de informação. Porém, não pretendo convencer ninguém do que quer que seja, e da mesma forma não espero ser convencido.

Nothing more, and nothing less.

6 comments:

Marcus Pessoa said...

Mesma coisa, eu. Mas dialogar com quem diverge da gente é produtivo, também.

Solon said...

Eu acho desnecessária a criação de novo termo. De Ratinho à Fox News, é tudo TV. De Dan Brown a James Joyce, é tudo livro. Que tudo que utilize-se desta mídia seja blog.

Se o leitor é ingênuo, problema dele.

Jorge Nobre said...

Realmente. As pessoas estão lendo muitos blogs e poucos livros. Mais livros e menos blogs, rapazes!

Ricardo said...

tô com o solon e não abro.
qualquer zé mané pode escrever um livro e publicar:
- Adriane Galisteu
- Madona
- Chico Anysio
- Sarney
- Maria da Conceição Tavares.

O Brasil lê Celso Furtado e acha ele o máximo.
definitivamente, qualquer mané escreve e pública um livro.

Natalie said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Natalie said...

Concordo.Também faço meu blog para me divertir e mesmo com todo tipo de comentário que recebo acredito que as críticas,desde que sejam contrutivas,são muito bem vindas.Não quero mudar o mundo com meu blog,tudo é só diversão.