Thursday, September 08, 2005

Not so stingy...

"O espírito de solidariedade desse povo está me deixando soterrado. Acho que não posso mais voltar pro Brasil porque da próxima vez que um marxista festivo vier torcer o nariz pros EUA, eu vou querer dar porrada. Só num raio de 50 milhas do CEP da universidade haviam 878 pessoas oferecendo hospedagem às vítimas do Katrina. 878! Isso é lindo demais."

LLL, um brasileiro que viveu o drama do Katrina.

6 comments:

smart shade of blue said...

Dã !

Eu até acho que existe um pessoal que detesta "os americanos", indiscriminadamente. Postura tão infantil, aliás, quanto a de quem detesta "os brasileiros".

Mas vale a pena ler "Bowling Alone", do Putnam, um tratado sobre o declínio do "capital social" na América. É um livro sério, embora possa-se discordar da metodologia dele.

Marcus Pessoa said...

O que o Alex escreveu não me surpreende. Eu sempre admirei os Estados Unidos, e é besteira culpar apenas sua postura imperial como a responsável pelo seu extraordinário desenvolvimento econômico e social.

Eles têm duzentos anos de uma sociedade democrática sólida. Nós ainda chegamos lá...

Paulo said...

Dã?

Vc lembra a reacao das pessoas quando o comentario 'stingy' foi feito na epoca do tsunami?

Paulo said...

E mais, dizer que vc "acha que existe" um grupo que odeia o povo americano eh extra nice of you. Ingenuidade pura, eu diria.

Edson said...

Ei, Paulo, que eu me lembre, o comentário "stingy" do cara da ONU na época da tsunami tava falando do governo americano, e não do povo americano. Esse era o contexto da declaração, me corrija se eu estiver errado. E ainda foi dito na primeira pessoa do plural, "why WE are so stingy", ou seja, ele incluiu TODOS os países desenvolvidos, não só os americanos. Eu já disse isso na época, mas não custa lembrar...

No mais, concordo com o que a Leila disse lá no LLL. O povo fala mal dos EUA por desconhecimento mesmo. Tanto que vejo ressentimento contra eles não só à esquerda, mas à direita também. Não na direita que escreve em blogs, mas nas pessoas mais conservadoras que encontro por aí, no mundo off-line.

Infelizmente, parece ser muito forte um certo pensamento binário sobre os EUA: ou subserviência besta (o Barra da Tijuca Way of Life, "Miami é um Rio de Janeiro que deu certo") ou ressentimento burro ("esses idiotas, gordos e arrogantes se acham os donos do mundo!"). Às vezes esse fenômeno chega às raias da esquizofrenia: na época em que obrigamos os americanos a registrar suas digitais nos nossos aeroportos, os recebemos com escolas de samba e flores, pra provar que apesar de tudo somos hospitaleiros...

Paulo said...

Edson,
Rolou muita coisa depois desse comentario inicial. Mas anyway, muita gente acredita que os EUA deveriam ser mais 'caridosos', que sao um bando de capitalistas egoistas, e foi em cima disso que eu comentei.
[ ]s